Monthly Archives: February 2017

Status

Eduardo Maçan

Hah! Gostei desse problema que o brilliant.org me mandou. A maior graça pra mim é o mimimi potencial que ele pode gerar (desnecessariamente). Repasso para a timeline como "experimento social":

Linda tem 31 anos, solteira, é franca e muito inteligente. Ela se formou em filosofia. Quando era estudante ela era profundamente envolvida com questões de discriminação e justiça social, também participou em protestos contra a energia nuclear.

Qual das seguintes hipóteses é a MAIS PROVÁVEL? (grifo meu)

a) Linda é caixa de banco.
b) Linda é caixa de banco e ativa no movimento feminista.

Justifique sua resposta 🙂

Status

Eduardo Maçan

"O conforto se apóia na ilusão. O caminho mais seguro, direto e estreito, sem confusão, sem surpresa." (da série: citações musicais obscuras e trevosas)

Status

Eduardo Maçan

Acabo de assistir "A chegada" no cinema (sim, após 2 meses da estreia!) e vos digo: adorei. Conseguiu entrar na minha lista de favoritos no tema "primeiro contato alienígena".

Pra quem já assistiu "O dia em que a terra parou (1951)", "guerra dos mundos (1953)", "contatos imediatos do terceiro grau (1977)", "E.T. (1981)", "Alien Nation (1988)", "contato (1997)" e "distrito 9 (2009)" (entre outros) não resta muito a discutir. Quando os alienígenas decidem vir para a terra, eles vêm com dois objetivos: "Trazer um presente" ou "Ferrar com a coisa toda" como nos ensinaram em 51 e 53. Quando eles chegam por acaso geralmente quem se ferram são eles, vide 81, 88 e 09.

Refilmagens invariavelmente são frustrantes. Guerra dos Mundos (2005) com o Tom Cruise até que foi boa diversão, mas não tem 10% da magia, do clima e do visual distinto do original. "O dia em que a terra parou (2008)" com o Keanu Reeves, me fez desejar que coisas pudessem ser "desvistas". Como alguém pode permitir que se faça isso com um clássico? O meu preferido ainda por cima!?! Desde aquele dia esperei que alguém aparecesse com uma versão moderna minimamente decente de "o dia em que a terra parou".

Acabou a espera.

"A chegada" se diferencia porque os extraterrestres e seus motivos são o tema secundário. A comunicação, aspecto provavelmente mais importante e presente da vida humana, é o que realmente importa. Eu via indivíduos tentando se comunicar na tela através de símbolos, gestos e sons estranhos e os paralelos com meu dia-a-dia ficavam pipocando o tempo todo na minha cabeça. Mind Blown.

Não tem nada veloz nem furioso nesse filme. Um tiozão e sua senhora saíram da sala após uns 30 minutos. Eu o ouvi reclamando com ela até que determinou: "Vamo embora, filme chato do @#[email protected]$". Eles saíram e eu continuei grudado na cadeira: que tipo de contato é esse afinal? 'Presente' ou 'Ferrar' a 'coisa' toda? O filme tenta seu melhor para não te deixar ter certeza e isso ajuda a criar a tensão necessária.

O tiozão perdeu uma grande oportunidade de ter a reflexão sobre comunicação que eu tive, mas isso, pelo que observei, ele já vem perdendo faz muito tempo.