Enquanto minha guitarra chora baixinho…

Pra quem não pegou: o título do post é o nome de uma música dos beatles.
Na apresentacão de sábado do crosstalk a gente precisava usar uma guitarra em uma música, um solo simples, uns preenchimentos igualmente simples: só guitarra limpa e um monte de chorus (efeito) pra lembrar a sonoridade do baixo do peter hook do new order.

Ibanez Talman TC360. Essas não são minhas, peguei na internetGuitarras Eko... dois exemplares da modelo 2  estão na fila de trás, a minha é vermelha como as da frente.Eu tenho duas guitarras, uma Ibanez Talman TC630S (a minha é preta e creme) e outra Acústica Eko Modelo 2 Italiana, 1962. . Obviamente a Eko tem uma carinha bem mais atraente, e apesar das bobinas do captador terem mais de 40 anos, ela tem um som bastante brilhante e a pegada no braco é muito agradável, gosto muito dela… O problema é que ela precisa seriamente de uma manutencão, meu erro foi acreditar que ela seguraria a onda no palco. :/

Antes de abrirem as cortinas do show do crosstalk eu afinei a guitarra eletronicamente e conferi que estava tudo soando bem. No momento de usá-la a 3a corda sozinha havia saído mais de 1 tom inteiro de afinacão para meu desespero e em um determinado momento – sei lá por que – o som sequer chegou a sair pro mix principal da música… as duas piores coisas que poderiam acontecer com alguém segurando uma guitarra aconteceram, faltou só quebrar uma corda mas elas estavam todas frouxas :P.

E desde então eu (acho que) aprendi a minha licão de preferir funcionalidade a estética e resolvi aposentar minha Eko até que ela passe um tempo com um luthier que seja capaz de restaurá-la sem destruir suas características originais. Gosto muito dela, ela ainda tem o selo de papel do fabricante dentro do corpo, a fiacão e bobinas originais. Naquela noite gostaria de não ter arriscado em nome do visual e usado a Talman. Prometi que não usaria uma guitarra novamente num show do crosstalk… mas estou revendo essa posicão.

Vou comprar um jogo de afinadores novos similares aos originais (os que estão nela são uma acochambracão medonha) o problema é: eu não acho uma foto em close dessa guitarra em sua situacão original para me basear, mas acho que olhando por essa foto acima que achei no museo Eko já dá pra ter uma idéia do que preciso.

Não conheco muita gente que tenha essas guitarras, além de mim só sei do Herbert Vianna (sem comparacões quanto à qualidade musical dos donos aqui heuaheauhea), do Paralamas que tem uma dessas (ele aparece tocando sua Eko Modelo 2 no clipe de “Uma brasileira” Veja no youtube e tente prestar atencão na guitarra e não na moca, ehehehehe).

A Eko me decepcionou mas acho que antes disso eu já a tenho decepcionado há muito tempo não dando a manutencão que ela merecia… pois é… mais um exemplo da “inexplicável rebeldia das coisas inanimadas” …

UPDATE: HAHAHAH! Eu não tinha visto no meio das fotos uma que mostrava exatamente o que eu precisava! As costas da mão (a ponta do braco) da guitarra e o modelo das tarraxas em close ! Valeu, tia!!!! :D

  4 comments for “Enquanto minha guitarra chora baixinho…

  1. André Fontenele
    04/10/2006 at 13:29

    Fala, Maçan. Cara acabei resolvendo na força bruta aquele problema do load balance aqui. Pus o Linux com 3 placas e dois provedores. Ainda falta ele ficar checando a conexão pra fazer o swap automático, mas está nos servindo bem… Abraço, cara. Queria que tu fossa na minha nova casa com o Cristian um dia desses p a gente beber uns vinhos… Abs,

  2. 04/10/2006 at 14:28

    Opa André!!! Será um prazer cara!!! Vamos marcar :D

    Eu devo receber meu link redundante mês que vem pra fazer o mesmo…

    Valeu a visita aqui no meu humilde blog :D

  3. Otto
    24/07/2011 at 12:40

    olá, caso leia este comentario algum dia na vida, bem, saiaba que sou a 3 pessoa, que tenho uma Eko modelo 2, ( aquela atras das 2 em frente, na foto, com o nome Eko escrito em preto, no braço da guitarra!), vc ja conseguiu o luthier? aonde foi, qualuer informação util, poderia me passar?
    grato

    • eduardomacan
      26/08/2011 at 11:29

      Sim, eu consegui o luthier, foi caro, demorou, mas o resultado foi fantástico. Entreguei a um luthier na rua Teodoro Sampaio, em São Paulo, os resultados podem ser vistos aqui e PRINCIPALMENTE aqui

Comente de volta!