Status

Eduardo Maçan

Eu entendo que a questão é complexa e que há alguns pontos de vista com mérito dentro da discussão de regulação dos serviços oferecidos no Brasil por empresas estrangeiras. Cito Uber, Netflix e WhatsApp(Facebook) como os casos óbvios.

Enquanto o país trata dos "efeitos maléficos" da inovação estrangeira que os brasileiros querem consumir (e que por ela pagam de bom grado) não seria uma boa hora para tratar com urgência das causas reais dessa inovação não acontecer por aqui? Burocracia excessiva, complexidade tributária, impostos exagerados sobre aquisição de insumos tecnológicos, etc... etc... etc... o que todo mundo que já abriu uma empresa ou tenta cultivar um hobby na área sabe muito bem.

Pra ter sucesso por aqui gasta-se tanto que só é possível tendo escala e rios de investimento de antemão. Como esperar que alguém abra uma pequena empresa, desenvolva um novo mercado, cresça, consiga sobreviver às insanas mudanças de faixas de tributação e ainda produza algo viável antes de ser atropelado pelo que nasceu no estrangeiro?

Temo que estamos apenas nos condenando a continuar trancando pra fora toda inovação em nome de proteger a aridez interna. Vale mesmo a pena? Estas empresas são cada vez mais a regra, estamos perdendo outro bonde das transformações econômicas mundiais porque ninguém se preocupa em criar um ambiente de negócios que diminua a improbabilidade delas nascerem aqui.

Ministro diz que Netflix e WhatsApp precisam ser alvo de regulamentação - Link Estadão - Cultura...

Ricardo Berzoini afirmou que os serviços desses aplicativos exigem forte investimento em infraestrutura e não geram novos postos de trabalho no País, em sina

Comente de volta!