Sobre a complementaridade...

Lembro de uma aula de desenho que assisti na TV cultura uma vez em que o professor ensinava a técnica de desenhar um objeto; não observando o objeto em si mas desenhando o espaço ao seu redor. Conta a lenda que Michelangelo teria dito sobre sua estátua de Davi: "A estátua sempre existiu, eu só retirei do mármore o que não era Davi". Nada existe sem um oposto que o defina.

Na cultura chinesa o conceito de complementaridade dos opostos chega ao limite de considerá-los iguais, ou mais precisamente: uma única coisa, em fases diferentes. Tudo ao atingir seu ponto máximo passa a se transformar em seu oposto. Yin e yang, que em constante mutação carregam em si a semente do outro.

Cheguei à conclusão que devemos, ao contrário do que aparentemente mandaria a boa educação, observar bem mais atentamente os defeitos das pessoas com quem buscamos relacionamentos, sejam de amizade, profissionais ou românticos, do que nos deixar levar por seus encantos.

Não me lembro de ter presenciado em minha vida um só caso de incompatibilidae por conflito de qualidades. Já os problemas de convivência e decepções que tive, sem exceção, se deram em razão de meus defeitos se chocarem de frente com os defeitos de outro indivíduo.

Acho que perdemos tempo demais procurando e admirando qualidades no outro quando o segredo parece estar em nos associarmos a indivíduos capazes de tolerar nossos defeitos e cujos defeitos também possamos tolerar sem grandes esforços ou prejuízos.

  12 comments for “Sobre a complementaridade...

  1. 27/03/2007 at 12:36

    Primeiro de tudo, parabéns pelo texto. Mas não é uma simples congratulação, é um "puta" parabéns mesmo.
    Me orgulho, dia após dia, da sua amizade e da sabedoria que você externaliza tão bem. Tens, sempre, uma maneira peculiar de dizer coisas que todos nós sempre soubemos. Isso é um dom.

    Antes de querer te parabenizar, tentei formar a lista das nossas incompatibilidades e das coisas que não gosto em você. Confesso que tive dificuldades em fazer a lista e... quando a terminei (ou, acho que terminei), percebi que seus defeitos, na verdade não eram defeitos, mas eram meus medos e preconceitos com relação a você.

    Fer... ;-D

  2. 27/03/2007 at 12:48

    Reli meu comentário agora e, então, me dei conta do quanto seu post me tocou e do quão exposta me deixei ficar. Pensei em pedir pra você apagar....

    Depois, voltei atrás e vi que minha espontaneidade é uma das minhas complementaridades e espero que você possa lidar com esse meu “defeitinho”.

  3. 27/03/2007 at 13:07

    Hueaheuaheah! cancerianos, cancerianos...

    =*

  4. 27/03/2007 at 17:10

    Du, verdades como essa... escondemos isso, depois dizemos que nos decepcionamos...Acabamos sendo falsos conosco mesmo, pois esperamos muito do próximo, e o que nos sobra de tanta expectativa e esperança....nada, pois ele é uma pessoal normal como cada um de nós!!! Isso não é ser frio, simplesmente realista, lembrar que somos todos humanos, e todos temos nossos defeitos e erros!!

    Demais, gostei muito!!!! Dizer verdades, por mais difícil que seja, é um bem enorme né....

    E quanto a Michelangelo....Davi, quem sabe uma poesia...em relação ao seu texto e a imagem... 😉

  5. 27/03/2007 at 17:16

    Heh, brigado Jana, o que eu acho mais legal sobre a estátua de Davi é que ela tem 5+m de altura, então Michelangelo a concebeu com as proporções exageradas da cabeça, do ombro, dos braços... para que quando vista de baixo, do ângulo correto, ela se mostrasse imponente, e com as proporções anatômicas corretas. 😀

    Viva o canal Discovery (que há uns 2 anos não assisto) hjeuhaueuahuea.

    Mas a citação eu vi em algum outro lugar, essa do ângulo e proporções foi no documentário da discovery.

  6. 27/03/2007 at 21:09

    Sábio, Maçan, sábio!!
    Ótimas surpresas sempre que passo por aqui.

    Abraço!

  7. 27/03/2007 at 22:40

    Ei Ernesto, obrigado!!! 😀
    Eu também tenho passado sempre lá pelo naselva.com, gracas ao google reader, hehehe 😀

    É difícil acompanhar tantos amigos com tanto talento pra escrever, mas que é um prazer imenso, isso é! Caramba! 😀

    Apareca mais vezes aqui por sp!

  8. camila
    30/03/2007 at 00:08

    Oque posso dizer???
    Apesar dos defeitos...TE AMO!!!!!!
    Beijos

  9. 30/03/2007 at 09:31

    Ei Cá! Sem palavras, menina 🙂
    Beijos... e se cuida! =*

  10. 02/06/2008 at 11:16

    Oi Menino....

    Acho que em parte você está certo, em parte não.
    Partindo do pressuposto de conhecer os defeitos do outro, fica muito dificil, mesmo porque a maioria sempre está escondendo-os, e geralmente vamos descobrir os reais defeitos, quando já estamos envolvidos, e digo mais, existem relações que só descobrimos já no fim.
    Seria tão mais interessante se todos se mostrassem o que verdadeiramente são, e não se enganassem e nem nos enganassem, pois acredito ser uma perda de tempo e de sentimento, porque no fim, a mentira tem perna curta, descobre-se o que a pessoa sempre tentou esconder, e isso depois de todo um desgaste e de muito sofrimento.
    Acredito que para que uma relação dê certo, e isso não somente romanticamente, mas todas as relações, é preciso existir disposição de ambas as partes, ou seja, compromentimento, somente desta forma é que qualquer relaciomento tem futuro, caso contrário é inevitável que haja decepção.

  11. 02/06/2008 at 11:32

    Oi Kate 🙂

    É... você tem razão... e é até natural que as pessoas escondam seus defeitos, se você pensar bem. Aí entram coisas que a gente só ganha com o tempo: "Paciência e cautela".

    Somos apressados demais em avaliar e aceitar as pessoas, mas a gente vai ganhando experiência... infelizmente, sempre depois de termos precisado dela 🙂

  12. 02/06/2008 at 11:44

    Ah, sr. Maça

    Admiro muito a sua sabedoria...
    Um dia, talvez eu tenha e muita, pois essa só adquirimos com o tempo!!
    Bom, ainda sou novinha, posso aprender!! haahhaha
    Se não for por meio de minhas próprias experiências, serão pelas suas!! uahauhahauha

Leave a Reply to Ernesto Cancel reply