Superman, o recorno.

Eu fui ver Superman, gostei, mas fiquei com um gostinho meio amargo depois, é um superman sufocado pela sociedade moderna e seus problemas de pessoas que não sabem o que querem, precisam se encontrar, se afastam, põem a perder o que acham realmente importante depois têm que se contentar com as migalhas do que sobrou. E de pessoas que não sabem esperar nem respeitar o tempo dos outros, tudo é obviamente exagerado no filme, mas essa é a impressão que fica Clique no "read the rest of this entry" para o resto do meu review. Se você ainda não viu o filme, não leia o resto do post, vai estragar tudo. Vá assistir e depois volte aqui se ainda se lembrar.

A Lois Lane está mais bonita, mas ainda não é uma dessas maravilhosas de hollywood que são maquiadas e iluminadas para serem perfeitas, ela é uma mulher dentro dos padrões humanos de beleza, como era a outra Lois de 1978. O Superman é um cara alto e forte, mas não tanto como era o Christopher Reeve (a quem o filme é dedicado) ele parece bem mais frágil, ele carrega mais do Clark Kent com ele.

Mas vamos ao filme e minha frustracão:

Nosso amigo Kal-El descobre onde ficava Krypton e foi lá ver os destrocos de seu planeta, ele vai embora sem falar tchau e fica 5 anos fora! 5 ANOS!

Tá certo né? Nesse mundo de pessoas confusas em busca de suas "verdades pessoais" você pode esperar que até o Superman tenha lá seus dilemas, e eu concordo que 5 anos é muito tempo... e a fila anda... até pra ele! Ele volta já querendo saber da Lois. E não é que ela está casada com outro cara que trabalha no mesmo jornal e tem um filho de 5 anos?

Vadia! Nem esperou um tempinho, hoje em dia o povo tá dando timeout de 3,4 meses e achando que foi muito, heh, a mulher lá do filme do náufrago esperou mais que isso. Mas não me julguem, eu não a chamei de vadia só por isso. O caso é que o filho é na verdade do Superman! Pois é... ela casou (casou não, - foi morar junto - o que pra mim dá na mesma) grávida com o outro cara e o cara não sabia de nada, criou o filho como se fosse dele, só que o guri arremessa pianos e tem medo de kriptonita! Ou seja, ou ela foi rapidinha demais em achar um palhaco e casar com ele ou já tava dando uns pega nesse mané ANTES do superman ir embora, porque embora ele seja Super e tenha viajado de Krypton até aqui ainda bebê, duvido que os espermatozóides dele fariam a mesma viagem sozinhos pra engravidar a vadia da Lois.

Dá-se a entender que a safada também não sabia que o filho era do dito cujo, o que só pesa contra nossa amiga Lois, mas os produtores esperam que ignoremos tais "anacronismos" pelo bem da reputacao da srta (agora Sra) Lane.
E aí, o homem de aco moderno chega, rola um ciuminho do novo consorte (sorte?) dela porque ele voltou, mas é todo mundo moderno, discute a relacão numa boa e abertamente, fala-se do ciúme, ela é uma "mulher moderna e independente" e faz o que bem quiser com quem bem quiser, e o maridão respeita.

O cara é tão gente-boa que até ajuda a salvar o Superman quando ele está numa pior. É uma amizade respeitosa que dá até raiva, fosse eu enfiaria outra lasca de criptonita no @#!#@$#@!$ daquele [email protected]#$!$!#@$! por quem minha mulher tem uma queda, mas não ... isso é coisa do século 19 como diria um amigaaaco meu. Hoje as coisas se resolvem pagando pro analista que como diria Raul Seixas , naquela música "fim de mês"...

Eu consultei e acreditei
No velho papo do tal psiquiatra que te ensina
Como é que você vive alegremente, acomodado
E conformado de pagar tudo calado
Ser bancário ou empregado, sem jamais se aborrecer

Ele só quer, só pensa em adaptar
Na profissão seu dever é adaptar

... tem o dever de "adaptar". Todo mundo forcando a "se adaptar". Até o símbolo do máximo poder sobrehumano, que é capaz de parar uma bala disparada à queima roupa no olho, é forcado a "se adaptar".

Sinceramente eu gosto mais do tempo em que a gente adaptava o formato do nariz dos outros ao da nossa mão. Mas coitado do... como é mesmo o nome dele? "Rick"? Coitado do Rick, o cara com quem ele compete é o Superman, ele tem é que se conformar mesmo e baixar a bola pra mulher, que esse negócio de superman é tudo coisa da cabeca dele.

Na hora que ele tá lá em coma, ela vai visitar com o filho o super-moribundo, e na frente do guri, que ela faz olhar pra lá, conta pra ele que ele é seu filho e tasca um beijão na boca dele. Claro, o Superman nunca faria isso, ele nunca tomaria a iniciativa pois age segundo, e em respeito, à honra. Mas ele está inconciente e ela está muito longe de ser super, tá valendo (Depois que ele se recupera ele vai lá ver o filho dormindo e rola um -momento-pai-e-filho- é o tipo de coisa que me deixa emocionado, até em desenho da disney).

A coitada da mãe adotiva do Clark tava lá, sozinha na rua esperando, porque como ninguém sabe que ela é mãe dele nunca a deixariam entrar pra vê-lo, e eis a família colocada a contra-gosto do outro lado das muralhas pessoais.

Assisti "Três Homens em Conflito" (The good, the bad and the ugly) com o Clint Eastwood que ganhei. Clássico! A violência dele me redimiu, o superman me deixou frustrado. Nada mais decepcionante do que um Superman frustrado na tela grande, derrotado por sua própria bondade e por uma sociedade e pessoas que têm pressa de chegar, embora não facam a menor questão de saber para onde ir nem como.

Ele me pareceu bem menos super. Me diverti com o filme, me maravilhei mais uma vez com a trilha sonora do John Williams (o mesmo de Star Wars, Indiana Jones e tantos outros) mas ao invés de ser transportado para uma realidade mágica tive foi a realidade trágica da humanidade esfregada impiedosamente no meu nariz, que saco. Como é ruim ler as entrelinhas das coisas! Aposto que um tantão de gente se divertiu bem mais que eu por não entender 😛

E pra terminar (e redimir também esse post) meu quote preferido do bom Clint, o homem sem nome, no 3 homens em conflito:

You see, there are two kinds of people in this world, my friend:
The ones with a (*clack*) loaded gun *CLACK*
And the ones who dig.
- You dig! -

Veja só, há dois tipos de pessoas no mundo, meu amigo:
As que têm uma (*clack*) arma carregada (*CLACK*)
e as que cavam.
- Cave! -

*UPDATE*:

Esqueci de dizer: O Kevin Spacey, que já tinha dado banho em Beleza Americana (acho que foi o último que vi com ele) deu outro banho como Lex Luthor.

  6 comments for “Superman, o recorno.

Comente de volta!